Teoria do Futebol

Tudo sobre Futebol, os metodos, os conceitos, os princípios, 
os processos e toda a organização tatica do futebol!

O todo e as partes

Quando comecei a estudar futebol, ouvia dizer que as partes juntas valem mais que o todo. Mas como seria isso possível? Se 2+2 são 4, se esta conta nos diz que as partes são iguais ao todo, como poderia ser a soma das partes, superior ao todo? Aquilo que eu não tinha percebido, é que esta não é uma questão lógica, que a matemática possa resolver. Para cada ação realizada no futebol existe uma razão, diferente de qualquer conceito de lógica, embora mais difícil de compreender.

Para nos ajudar a perceber isto, vamos supor um carro como exemplo. Um carro tem rodas, tem volante, tem a embraiagem, tem o motor e outros componentes. Todos eles, formam um carro. Mas, se lhe tirarmos uma roda, o carro simplesmente não anda. Se lhe tirarmos o motor, só vai de empurrão mesmo. Sem o volante, pode até andar, mas vai sem direção. Sem a embraiagem, então nem arranca mesmo. Cada um dos componentes do carro pode até parecer insiginificante quando isolado dos restantes, mas no que diz respeito ao todo (o carro), se retirarmos um deles, seja qual for, o carro fica incompleto o suficiente para não sair da garagem. O carro é, portanto, um conjunto onde a soma das partes é maior que o todo, onde não só importa quais são os componentes que fazem parte desse conjunto, como a forma como eles se relacionam para que todo o conjunto funcione.


No futebol, acontece exatamente a mesma coisa. Ter 11 jogadores em campo, não significa nada. São apenas 11 partes do todo. Mas, uma vez que todos eles jogam em equipa, como eles se relacionam? Quais são os comportamentos coletivos dos jogadores que os fazem agir como um conjunto?

A partir dos quatro momentos de jogo, podemos organizar a equipa como um todo. Se um jogador não souber sequer distinguir o que são organizações defensivas ou ofensivas das transições, talvez a equipa não seja capaz de se relacionar como um sistema, como um comportamento coletivo, que se consegue no treino.

Podemos ter os 11 melhores jogadores do mundo, cada um na sua posição, e formar uma equipa cheia de fortes individualidades, mas será isso suficiente para criar um conjunto coletivo forte e coeso? Eu não acredito nisso. Acredito sim, que é necessário criar uma organização nesse conjunto, fazendo com que não sejam apenas 11 jogadores, mas uma equipa.


Vamos usar duas equipas como exemplo. Uma está recheada de bons jogadores, mas tem uma desorganização tremenda. A nível da transição defensiva, reagem como lhes apetece, ocupando o espaço que entendem ou nem se movem. A outra equipa, é composta por jogadores medianos, mas todos reagem, ocupando o seu espaço de forma equilibrada e com comportamentos consistentes. Qual será a equipa que terá maior desempenho na transição defensiva? A segunda, certamente.


No futebol de hoje, já não importa fintar, correr com a bola ou tirar 150 cruzamentos por jogo. Antigamente, no tempo das cavernas, resistiam os mais fortes. Hoje, no futebol como na sociedade, resistem os mais inteligentes. Ao treinador, cabe organizar a equipa, criar um comportamento coletivo e único. Aos jogadores, fazer por entender esse comportamento, a bem deles mesmos.

Assine agora e receba todas as novidades por e-mail

E faça download do ebook 72 exercícios para as fases do jogo imediatamente. Clique aqui para saber mais
endereço de email
*
campayn